quarta-feira , 24 fevereiro 2021

Home » Alphaville » Anvisa aprova vacinas e, de imediato governador de São Paulo inicia vacinação

Anvisa aprova vacinas e, de imediato governador de São Paulo inicia vacinação

janeiro 17, 2021 6:53 pm by: Category: Alphaville, Brasil A+ / A-

vacinando. monica

Fotos: Reprodução Globonews

Em transmissão televisiva, a ANVISA, agência reguladora brasileira, na manhã de hoje, a partir das 10h, iniciou reunião que aprovou o uso emergencial após apresentações técnicas que recomendaram a aprovação da CORONAVAC, do laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, estadual paulista, e da COVISHIELD, de Oxford e o laboratório Astrazeneca, onde a FioCruz, subordinada ao governo federal é a parceira.

Os votos de aprovação foram unânimes, dos cinco diretores da ANVISA. Mais de três horas levaram nesta reunião. Ao final, enfatizaram que  os cuidados de controle devem continuar, máscaras, distanciamento, e outros, e disseram “Não ao Negacionismo”.

Em seguida, minutos depois da aprovação, foi feita a primeira vacinação no Brasil, da enfermeira Mônica Calazans, de 54 anos, do Hospital Emílio Ribas pertencente ao Hospital das Clínicas na capital paulista. E, pelo Vacinômetro Paulista, até o momento, 112 profissionais da saúde já foram vacinado.

coronavac

São Paulo, através do Governo João Dória e do Instituto Butantan, desde o segundo semestre de 2020, iniciou uma parceria com o laboratório chinês Sinovac, que produziu a vacina Coronavac, feita a partir de vírus inativado.  O governo paulista comprou 6 milhões de doses da vacina chinesa e o Instituto Butantan, a partir da transferência de tecnologia com a Sinovac, também iniciou a produção da Coronavac.

O governo federal, através do Ministério da Saúde, adquiriu 2 milhões de doses da vacina da Oxford/ Astrazeneca, mas teve frustrado o envio do avião Airbus da Azul, nesta sexta feira passada, pois o laboratório indiano Serun comunicou a não disponibilidade das vacinas para exportaçao neste momento, pois ontem foi iniciada a vacinação nacional indiana.

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, na sexta feira, através de dois ofícios, requisitou (o que foi entendido pela grande mídia como confisco),  todas as vacinas adquiridas pelo Estado de São Paulo, seis milhões de doses, que serão aplicadas em 3 milhões de brasileiros  em espaço de 28 dias, para a segunda dose.

Por questão logística, o Butantan respondeu ao primeiro ofício e deixou em São Paulo, no Centro de Distribuição que fica em Guarulhos, cerca de 1.357 milhão de doses, que foram designadas para o Estado de São Paulo, a partir do rateiro nacional.

joao.doria.vacina

Surpreendendo a todos, o governador João Dória de São Paulo, logo após comemorar junto a toda a equipe envolvida no pedido de aprovação da CORONAVAC, imediatamente após a histórica e esperada aprovação da ANVISA, abriu uma coletiva de imprensa, vacinando a primeira brasileira em rede nacional, a enfermeira Mônica Calazans.

Minutos depois da vacinação que seguiu as regras do PNI- Programa Nacional de Vacinação, o Ministro da Saúde, Gal. Eduardo Pazuello, em coletiva de imprensa, demonstrando irritação e acusando João Dória de fazer marketing da vacinação, anunciou que a partir de amanhã, começará a distribuir pelo Brasil, as 4.643 milhão de  doses da Coronavac, iniciando com o grupo de risco dos profissionais da Saúde de linha de frenteao COVID-19. Também disse que fará um evento com governadores, amanhã, para anunciar o início do PNI, tal qual fez João Dória que criticou.

João Dória, ainda em coletiva de imprensa, acusou o governo federal de não ter tomado as medidas de aquisição e demais, sobre a pandemia, e deixou claro que as doses enviadas ao Ministério da Saúde são provenientes da iniciativa paulista.

De qualquer forma, o Brasil depende da entrega da Índia e da compra de princípios ativos para fazer as vacinas em território brasileiro. No entanto, a falta de vacinas já preocupa o Mundo. E, no caso da CORONAVAC e da COVISHIELD, ainda não se sabe a validade da vacina no organismo humano.

A situação de vacinas adquiridas e em aquisição e aprovação, no Brasil, são hoje (Fonte: Globonews):

CORONAVAC  - Sinovac em parceria com o Instituto Butantan: Já disponíveis, 6 milhões de doses, duas doses por pessoa. Doses acordadas com o Ministério da Saúde, 100 milhões; expectativa de produção diária, 1 milhão por dia no primeiro semestre, mais dois milhões por dia, no segundo semestre. Eficácia: 50,38%. Vacinação inciada em São Paulo, hoje, em 17 de janeiro de 2021. Distribuição para os municípios paulistas a partir de amanhã. Distribuição para os estados a partir de amanhã. Primeiro grupo: profissionais da saúde de frente de trabalho de Covid19.

COVISHIELD – Astrazeneca/ Oxford: em fase de entrega não definida, 2 milhões; doses acordadas com o Ministério da Saúde, 30,9 milhões; expectativas de produção de doses, 100 milhões no primeiro semestre, mais 110 milhões no segundo semestre. Edicácia: 70%. Futura produção no Brasil, Fiocruz, laboratório federal sediado no Rio de Janeiro. Duas doses por pessoa.

Pfizer: 70 milhões de  doses em negociação com o Ministério da Saúde. duas doses por pessoa. 95% de eficácia. Parte da documentação para a aprovação emergencial já se encontra com a ANVISA.

Jansssen: 38 milhões de doses únicas. Em negociação com o Ministério da Saúde. Parte da documentação para a aprovação emergencial já se encontra com a ANVISA.

Sputinik (russa): 10 milhões até março. Já foi solicitada a entrada para a aprovação emergencial já se encontra com a ANVISA. Segundo o Governo russo, 91% de eficácia em duas doses.

 

 

 

Leave a Comment